«

»

out 24

Imprimir Post

Em baixa no Ibope, "Amor e Sexo" mira conservadores com "programa família"

Confira as principais fofocas globais, Em baixa no Ibope, "Amor e Sexo" mira conservadores com "programa família" veja todos os detalhes aqui.

Fernanda Lima (foto: reprodução)

O programa “Amor e Sexo” estreou sua 11ª temporada (no dia 9 de outubro) amargando o pior Ibope de sua história: 10,4 pontos de média na Grande São Paulo. “Uma queda de 35% em relação à estreia da temporada anterior, em 26/1/2017 (15,9)”, sinalizou o site Notícias da TV. Foi a pior estreia também no resto do país. “No Painel Nacional, caiu de 16,7 pontos de média no ano passado para 10,4 pontos”, informou Ricardo Feltrin em sua coluna.

Esgotamento do formato? Ou uma resposta da onda conservadora que assola o país à pauta progressista que guia o programa? Seria a baixa audiência do “Amor e Sexo” – às vésperas das eleições para presidente da República – o reflexo da influência do candidato Jair Bolsonaro sobre os opositores às propostas liberais que têm permeado a sociedade brasileira nos últimos anos? A “propostas liberais” entenda os direitos que clamam negros, mulheres e LGBTs, temas que vêm pautando o “Amor e Sexo” com grande ênfase nas últimas temporadas.

A Globo, percebendo este momento e este movimento, exibiu – estrategicamente às vésperas da eleição – o terceiro programa (nesta terça-feira, 23/10) dedicado à família. “Respeita a família, todas as famílias!” dizia a apresentadora Fernanda Lima nas chamadas. E “o programa da família brasileira“, logo na abertura. Até Fernanda adaptou-se. Nada de decotes profundos ou roupas minúsculas: ela surgiu com um modelito que lhe cobria todo o corpo.

Na pauta, a transição da família tradicional à família contemporânea e a importância das relações familiares. O ponto alto foi a alusão a famílias desfeitas por causa da violência urbana. Mesmo se tivesse havido alguma tentativa de deslocar o foco do programa para atender uma parcela mais conservadora do público, “Amor e Sexo” conseguiu atender os dois lados apresentando famílias de todas vertentes. E não deixou de ressaltar as modernas configurações familiares que vão além do tradicional modelo homem-mulher-filhos-cachorro-papagaio. E assim, sem impor nada, o programa tentou ser mais democrático.

Leia também:Vamos acabar com coitadismo de nordestino, de gay, de negro e de mulher, diz Bolsonaro“.

Siga no Facebook – Twitter – Instagram

A matéria Em baixa no Ibope, "Amor e Sexo" mira conservadores com "programa família" foi originalmente publicado em http://nilsonxavier.blogosfera.uol.com.br/2018/10/24/em-baixa-no-ibope-amor-e-sexo-mira-conservadores-com-programa-familia/

Link permanente para este artigo: http://hidracthair.com/produtos/em-baixa-no-ibope-amor-e-sexo-mira-conservadores-com-programa-familia/