«

»

ago 05

Imprimir Post

Sem sexo e violência, "Liberdade, Liberdade" seria uma novela das 18h

Confira as principais fofocas globais, Sem sexo e violência, "Liberdade, Liberdade" seria uma novela das 18h veja todos os detalhes aqui.

liberdadeliberdadefinal
Como já havia ocorrido com “Verdades Secretas”, parte do sucesso de “Liberdade, Liberdade” se deveu à exibição de algumas cenas de impacto, tanto em matéria de violência quanto de sexo.

No caso da mais recente novela das 23h, além de apresentar com crueza, sem filtros, a brutalidade de alguns personagens, houve ainda o feito, inédito, de mostrar uma cena de amor entre dois homens.

São situações que o horário mais tardio permite, do ponto de vista da classificação indicativa, e o público aceita melhor. Creio que é a isto que Mario Teixeira, autor da trama, se refere quando diz que o espectador é “inteligente”. Em entrevista a Paulo Pacheco, no UOL, ele disse:

“O mais importante é ressaltar que o público é muito inteligente e, com boas histórias e personagens humanos e verdadeiros, podemos explorar qualquer assunto. A novela desde o início se dispôs a contar temas de intolerâncias e preconceitos da época, os diferentes tipos de pessoas e questões de cada um, seja de gênero, raça ou econômica.”

Teixeira faz uma confusão aí. O público não é inteligente porque dá boa audiência a uma novela que mostra cenas de sexo entre dois homens e violência. Ambos os aspectos são iscas e atraem espectadores justamente porque a TV aberta não pode exibi-los em qualquer horário.

Se considerasse o espectador inteligente, de fato, Teixeira teria escrito uma novela muito mais interessante e ousada. Ao contrário, “Liberdade, Liberdade” evitou qualquer risco. Foi uma trama sem maiores ambições, desenvolvida de forma simples e fácil, deixando pouco espaço para o público pensar ou imaginar.

A cena final, com Xavier (Bruno Ferrari) e Joaquina (Andreia Horta) no navio, rumo a Portugal, mostra bem como, tirando as cenas de sexo e violência, o texto de “Liberdade, Liberdade” parece de novela das 18h.

“Nós vamos para Lisboa encontrar os nossos aliados e planejar o futuro” diz ele. “Xavier, seremos felizes?”, pergunta ela. “Já somos”, responde ele. “Só se é feliz quando se é livre”, completa ela.

Mais bobinho, impossível.

Veja também
Autor comemora sucesso de “Liberdade, Liberdade”: “O público é inteligente”
Patricinha de época, Branca foi a maior diversão de “Liberdade, Liberdade”

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

A matéria Sem sexo e violência, "Liberdade, Liberdade" seria uma novela das 18h foi originalmente publicado em http://mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br/2016/08/05/sem-sexo-e-violencia-liberdade-liberdade-seria-uma-novela-das-18h/

Link permanente para este artigo: http://hidracthair.com/produtos/sem-sexo-e-violencia-liberdade-liberdade-seria-uma-novela-das-18h/