«

»

mar 24

Imprimir Post

The Flash nunca foi o velocista mais rápido da Terra, mas precisa ser

Confira as principais fofocas globais, The Flash nunca foi o velocista mais rápido da Terra, mas precisa ser veja todos os detalhes aqui.

Apesar de dizer continuamente na sequência de abertura de The Flash que é “o homem mais rápido da Terra“, desde a primeira temporada e seu Flash Reverso, Barry Allen (Grant Gustin) nunca foi o homem mais rápido da Terra. Sempre tem algum outro velocista que consegue ser mais ligeiro que o Flash, mesmo que eventualmente ele consiga controlá-lo, domá-lo e ultrapassá-lo. “Trajectory”, o 16º episódio da segunda temporada da série, traz um novo meta-humano que desafiará o Velocista Escarlate como nunca – e seus poderes têm outra origem.

Apesar de ter todos os elementos de um episódio procedural de “vilão da semana”, o 16º capítulo da segunda temporada serve um propósito maior: Zoom ainda está a solta e precisa ser detido. Trajetória ataca num momento fraco do grupo, quando todos estão desmotivados pela aparente incapacidade de Barry correr ainda mais rápido. Afinal, o objetivo é sempre o de se superar e rápido nunca será rápido o suficiente quando seus vilões são sempre mais velozes que você.

The Flash conseguiu abordar o uso e vício de drogas enquanto avançava com seu arco geral sem deixar com que um atrapalhasse o outro. O time descobre que Eliza Harmon (Allison Paige) está viciada em Velocidade 9, a droga que Caitlin Snow (Danielle Panabaker) inventou para devolver temporariamente os poderes de Jay Garrick (Teddy Sears), mas que também estava destruindo sua estrutura molecular e deixando-o muito doente. Duas coisas se desenrolam: Barry não entende porquê seus amigos esconderam a fórmula dele, já que ela o ajudaria a correr mais rápido em muito menos tempo e com menos esforço; e, logo em seguida, a descoberta de que V-9 é extremamente perigoso.

‘);
$ad_galeria.html(
“”
);
return $ad_galeria;
}

“Trajectory” serviu principalmente para mostrar que Zoom não está atrás dos poderes de Barry somente porque é mal, mas sim porque está doente. O característico raio azul é o efeito colateral que a droga causa em seu sistema e a velocidade de Barry, aparentemente, é a única coisa que pode salvá-lo. Outra questão abordada aqui foi a descoberta do time de que Zoom é Jay Garrick – mas eles aparentemente se esquecem de seu doppelgänger da Terra-1, Hunter Zolomon.

O curioso foi que o capítulo ignorou completamente o crossover que vai acontecer entre The Flash e Supergirl. Na teoria, o velocista terá de viajar novamente pelo multiverso para acabar caindo no planeta onde Kara Danvers (Melissa Benoist) exista, mas “Trajectory” termina apenas com a descoberta de Cisco (Carlos Valdez) sobre a identidade de Zoom. Talvez a ideia é de que o impacto da participação seja nulo na série de Barry – já que o episódio “Worlds Finest” será parte somente da grade da CBS sem cruzar para os dois lados, deixando a CW de fora -, mas acho que pelo menos uma menção será necessária, se não agora, futuramente. Afinal, Barry vai conhecer uma alienígena superpoderosa.

The Flash é exibida às terças-feiras nos EUA pela CW. No Brasil, o canal pago Warner fica a cargo da transmissão da série, que é exibida às quintas, 23h30.

Leia mais sobre The Flash

A matéria The Flash nunca foi o velocista mais rápido da Terra, mas precisa ser foi originalmente publicado em http://omelete.uol.com.br/series-tv/artigo/the-flash-nunca-foi-o-velocista-mais-rapido-da-terra-mas-precisa-ser/

Link permanente para este artigo: http://hidracthair.com/produtos/the-flash-nunca-foi-o-velocista-mais-rapido-da-terra-mas-precisa-ser/